Café descafeinado: o que é e como é feito?

O café é uma das bebidas mais consumidas e apreciadas no mundo. Seu aroma, sabor e efeito estimulante são irresistíveis para muitas pessoas. No entanto, nem todos podem ou querem consumir cafeína, o principal componente ativo do café. E como alternativa, existe o café descafeinado.

A cafeína é uma substância que atua no sistema nervoso central, aumentando o estado de alerta, a concentração e o humor. Mas também pode causar efeitos indesejados, como ansiedade, insônia, taquicardia e irritação gástrica. Para essas pessoas, existe uma alternativa: o café descafeinado.

O que é o café descafeinado?

O café descafeinado é simplesmente café que teve pelo menos 97% de sua cafeína removida. Isso significa que ele ainda contém uma pequena quantidade de cafeína, mas muito menor do que o café normal. O café descafeinado pode ser feito a partir de qualquer tipo de café, seja arábica ou robusta, e pode ter diferentes graus de torra, desde o claro até o escuro. O que diferencia o café descafeinado é o processo de descafeinação, que ocorre antes da torra dos grãos.

Como é feito o café descafeinado?

O processo de descafeinação consiste em extrair a cafeína dos grãos de café verde, ou seja, antes de serem torrados. Isso é feito porque a torra altera a estrutura química dos grãos, tornando a remoção da cafeína mais difícil e prejudicando o sabor do café. Se você tentasse descafeinar um café torrado, acabaria com algo que tem gosto de palha.

Existem três métodos principais usados para remover a cafeína dos grãos de café: solventes químicos, dióxido de carbono líquido (CO₂) ou água pura com filtros especiais. Cada um desses métodos tem suas vantagens e desvantagens, e podem afetar o sabor, o aroma e a qualidade do café descafeinado.

Método dos solventes químicos

O método dos solventes químicos é o mais antigo e mais usado para descafeinar o café. Ele consiste em cozinhar os grãos de café no vapor e, em seguida, mergulhá-los repetidamente em um solvente químico (geralmente cloreto de metileno ou acetato de etila) que se liga à cafeína e, após um tempo, a extrai dos grãos. Os grãos de café são, então, novamente cozidos no vapor para remover qualquer solvente químico residual.

Esse método é eficiente e barato, mas também tem algumas desvantagens. Uma delas é que o solvente químico pode deixar um resíduo nos grãos, que pode ser prejudicial à saúde se consumido em grandes quantidades. Outra desvantagem é que o solvente químico pode remover não só a cafeína, mas também alguns compostos que dão sabor e aroma ao café, reduzindo a sua qualidade sensorial.

Método do dióxido de carbono líquido (CO₂)

O método do dióxido de carbono líquido (CO₂) é um método mais moderno e ecológico para descafeinar o café. Ele funciona de maneira diferente do método dos solventes químicos. Em vez de usar um solvente químico, ele usa o dióxido de carbono em estado líquido, que é um gás natural e inofensivo. O dióxido de carbono líquido é pressurizado e aquecido, e passa pelos grãos de café, onde se liga à molécula de cafeína e a remove do grão. O dióxido de carbono carregado de cafeína é então misturado com água, onde a água transporta a cafeína e o dióxido de carbono é reciclado para ser usado novamente.

Esse método é vantajoso porque não usa nenhum produto químico que possa deixar resíduos nos grãos ou afetar o sabor e o aroma do café. Além disso, ele é mais seletivo, removendo apenas a cafeína e preservando os demais compostos do café.

No entanto, esse método também tem algumas desvantagens. Uma delas é que ele é mais caro e complexo do que o método dos solventes químicos, exigindo equipamentos e instalações especiais. Outra desvantagem é que ele pode deixar o café mais ácido, o que pode não agradar a alguns paladares.

Método da água pura com filtros especiais

O método da água pura com filtros especiais é um método mais natural e orgânico para descafeinar o café. Ele consiste em mergulhar os grãos de café em água pura, que extrai a cafeína e os demais compostos do café. Em seguida, a água é filtrada em um carvão ativado, que retém apenas a cafeína, deixando passar os demais compostos. A água, então, é devolvida aos grãos de café, que reabsorvem os compostos que dão sabor e aroma ao café.

Esse método é benéfico porque não usa nenhum produto químico que possa contaminar os grãos ou alterar o sabor e o aroma do café. Além disso, ele é mais gentil com os grãos, mantendo a sua integridade e qualidade. No entanto, esse método também tem algumas desvantagens. Uma delas é que ele é mais demorado e trabalhoso do que os outros métodos, pois requer várias etapas de imersão e filtragem. Outra desvantagem é que ele pode diluir um pouco o sabor e o aroma do café, tornando-o mais suave.

Conclusão

O café descafeinado é uma ótima opção para quem ama o sabor do café, mas prefere evitar a cafeína. Cada um desses métodos tem suas vantagens e desvantagens, e podem afetar o sabor, o aroma e a qualidade do café descafeinado.

Independentemente do método utilizado para descafeinar o café, o objetivo é sempre o mesmo: produzir um café delicioso e sem cafeína que possa ser apreciado a qualquer hora do dia.

O café descafeinado é uma bebida que oferece os benefícios do café, como o sabor, o aroma e os antioxidantes, sem os efeitos indesejados da cafeína, como a ansiedade, a insônia e a irritação gástrica. Para muitos amantes de café, a descafeinação é uma opção atraente por motivos de saúde ou de preferência pessoal.

Categoria: Café
Tags: Café
Próximo post
O papel da moagem no sabor do café
Post anterior
Conheça as 3 principais podas de café
Menu