Campeonato Mundial de Torra de Café acontece em novembro e traz novas regras

O Campeonato Mundial de Torra de Café (WCRC) é uma das principais competições de café do mundo. Ele reúne os melhores torrefadores, para competirem em um desafio de três dias, onde eles devem torrar e avaliar um lote de café verde.

A edição deste ano acontece já no mês que vem, em Taiwan. Tendo início no dia 17 de novembro, o campeonato traz mudanças nas regras, que foram anunciadas pela organizadora World Coffee Events (WCE). Essas mudanças visam tornar o campeonato mais justo e acessível para todos os competidores, independentemente de seu nível de experiência ou recursos.

A partir de agora, a principal competição internacional de torrefadores considerará os aspectos da Avaliação do Valor do Café nas rotinas dos competidores e no julgamento.

Novas regras

O novo regulamento da WCRC impacta, diretamente, o processo de avaliação de cupping (processo de avaliação sensorial do café). Neste ano, os competidores terão que enviar um plano de torrefação atualizado, o que inclui um formulário de resultados sensoriais, que devem estar alinhados a Avaliação do Valor do Café. São os atributos avaliados pelos juízes:

  1. Fragrância e aroma;
  2. Sabor;
  3. Gosto residual;
  4. Acidez;
  5. Doçura;
  6. Sensação na boca.

Nova pontuação

Outra mudança significativa é na pontuação das avaliações feitas pelos juízes. O que antes iria de 0 a 6, agora se resume a quatro categorias: 0 (fora da faixa aceitável); 1 (aceitável/médio); 2 (bom/muito bom); e 3 (excelente/extraordinário).

A avaliação de cuppings de produção agora inclui também duas pontuações separadas, sendo: avaliação afetiva do café e precisão dos descritores de café, bem como quaisquer defeitos de torrefação.

Já na qualidade da torra do café, os juízes utilizarão pontuações de até nove pontos, que varia de 0 (nenhum para avaliar) e 9 (extraordinário/extremamente alto). Aqueles que pontuarem de 0 e 3, terão que passar pela aprovação do juiz principal.

Expectativas para a edição 2023

As mudanças nas regras do WCRC prometem ser um passo positivo para o campeonato, possibilitando uma disputa mais justa e acessível para todos os competidores, independentemente de seu nível de experiência ou recursos.

Além disso, a expetativa é que mais competidores atinjam melhores pontuações. Com novas classificações eles poderão incluir descritores extra-sensoriais no formulário, e ainda descrever com mais precisão seu café. 

Ainda não podemos afirmar como isso funcionaria na prática, mas essas possibilidades poderiam aumentar as chances de receber uma pontuação mais alta. O que também seria possível com a inclusão de duas pontuações separadas no cupping: avaliação afetiva de café e precisão dos descritores de café.

O pódio da competição no ano passado, foi ocupado pelo austríaco Felix Teiretzbacher em primeiro lugar, seguido do norueguês Simo Christidi, e o terceiro colocado, Wisnu Aji Pratter, da Indonésia. 

Categoria: Café
Tags: Café
Próximo post
Cupping: como a qualidade do café é avaliada pelo mercado?
Post anterior
Do grão à xícara: como o café chega até você?
Menu